Blogpost Header (7)

Taxa Selic: o corte deve continuar sendo de 0,5 ponto nos próximos meses

O Banco Central manteve sua postura e fez poucas alterações na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), realizada nos dias 30 e 31 de janeiro.

Na reunião, o Copom decidiu, de forma unânime, reduzir a taxa Selic em 0,50 ponto percentual, para 11,25% ao ano, conforme amplamente esperado pelo mercado. Essa foi a quinta queda consecutiva dos juros no novo ciclo de flexibilização monetária iniciado em agosto. Mesmo com a entrada de dois novos integrantes na diretoria indicados pelo presidente Lula, a decisão foi unânime. Na ata, o Copom reiterou a sinalização do comunicado da semana anterior, indicando que manterá o ritmo de corte nas próximas reuniões.

Imagem Correio Braziliense 

Analistas indicaram que esperam que as reduções da Selic continuem em 0,50 ponto percentual até maio ou junho, sem previsão de aceleração do ritmo. Após esse período, os cortes devem diminuir para 0,25 ponto percentual, até que a taxa básica de juros atinja 9,25% ou 9% – a mediana das projeções para o final de 2024 coletadas pelo BC no boletim Focus há seis semanas consecutivas.

Uma das poucas mudanças no texto da ata foi em relação ao cenário externo, que mostrou maior volatilidade em comparação com o comunicado anterior. O Copom reiterou a importância de adotar uma postura cautelosa, principalmente em países emergentes, e afirmou que continuará monitorando os dados da economia global e seus efeitos na economia brasileira.

Os membros da diretoria do BC reforçaram na ata que “avaliam que esse é o ritmo apropriado para manter a política monetária contracionista necessária para o processo desinflacionário”. Eles também destacaram que a magnitude total do ciclo de flexibilização dependerá da evolução da inflação, das expectativas inflacionárias, do hiato do produto e do balanço de riscos.

Sobre a troca de presidente do BC e de mais três diretores até o final do ano, Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, comentou que não há novidades que mudem a trajetória da política monetária no primeiro semestre. Ele destacou que o segundo semestre pode ser mais turbulento devido a essas mudanças. Vale manteve a projeção para a taxa Selic no final do ano em 9,25%.

Com relação ao cenário fiscal, a ata destacou a importância da execução das metas fiscais para a ancoragem das expectativas de inflação. O Copom reafirmou a importância da firme persecução dessas metas para a condução da política monetária, enfatizando a necessidade de fortalecer a credibilidade e a reputação das instituições e dos arcabouços fiscal e monetário da política econômica brasileira. O colegiado reconheceu o progresso desinflacionário, mas ressaltou que ainda há um caminho a percorrer para o retorno da inflação à meta, exigindo serenidade e moderação na condução da política monetária.

Aproveite para garantir sua unidade no UNION 511!

O cenário aponta para uma queda contínua da taxa básica de juros, mas isso não quer dizer que é hora de esperar! A queda da taxa Selic tem dois grandes efeitos no mercado imobiliário, o primeiro é o barateamento do financiamento. Pensando nisso, muitos compradores tendem a querer esperar uma queda ainda mais significativa das taxas antes de garantir suas unidades. No entanto, o segundo efeito da queda da Selic é o aquecimento do mercado imobiliário, e eventual mudança nos valores dos imóveis. Assim, um comprador que opta por esperar uma taxa Selic mais baixa pode perder a oportunidade de garantir o melhor negócio antes do aquecimento do mercado. 

Graças à possibilidade de portabilidade do crédito imobiliário, você pode ter o melhor dos dois mundos! Comprando agora a sua unidade do Union 511, você aproveita as melhores condições antes do aquecimento do mercado e pode esperar a Selic seguir seu ritmo de cortes para buscar um novo financiamento com taxas mais atrativas! 

Aproveite esta oportunidade ganha x ganha e venha conhecer o seu próximo investimento no Noroeste, o Union 511!

Blogpost Header (5)

Pets em Apês

Criando o lugar acolhedor para você e os peludos

Você sabia que existem mais animais de estimação do que crianças nos lares brasileiros? A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) revela que o país abriga aproximadamente 144,3 milhões de pets, sendo 55,9 milhões de cães e 25,6 milhões de gatos.

Ter pets em casa é uma delícia, eles fazem companhia, nos divertem e ajudam até a aliviar a dor e depressão. Mas e para os pets, será que a experiência é tão positiva assim? A resposta é sim! Cachorros e gatos gostam muito da companhia humana, mas é importante seguir algumas dicas para garantir que o seu apartamento esteja pronto para recebê-los. 

Confira algumas dicas para garantir que o seu apartamento seja um espaço seguro e interessante para os peludos:

Estabeleça uma Rotina de Exercícios

Ao criar um ambiente propício para pets em apartamento, comece estabelecendo uma rotina de exercícios. Assim como nós, os animais se beneficiam da atividade física. Mesmo em espaços fechados, brincadeiras com petiscos e brinquedos dentro do apartamento podem contribuir para a saúde dos pets. Não se esqueça dos passeios diários, essenciais mesmo para cães e gatos mais velhos.

Defina um Espaço para Seu Pet

Garanta que seu pet tenha um espaço próprio dentro do apartamento. Além da cama, reserve um local um pouco maior com seus brinquedos, potinhos de água e comida. Essa área específica auxilia na ambientação e proporciona conforto ao animal.

Considere os Vizinhos

A convivência em apartamentos exige cuidados com os vizinhos. Condomínios não podem proibir a presença de cães ou gatos, mas é fundamental conhecer e respeitar os deveres e direitos como tutor. Mantenha a limpeza nas áreas comuns e assegure-se de que seu pet não perturbe a tranquilidade dos vizinhos.

Enriqueça o ambiente

Animais que passam a maior parte do tempo sozinhos em apartamentos necessitam de estímulos constantes. Crie um ambiente instigante escondendo petiscos pela casa e espalhando brinquedos em locais um pouco distantes da área de conforto. Isso ajuda a estimular a inteligência dos pets e evita o tédio.

Proteja Adequadamente o Ambiente

Priorize a segurança do seu pet, especialmente em andares mais altos. Instale redes de proteção em varandas, sacadas e janelas para evitar acidentes. Além disso, atente-se aos objetos ao alcance dos pets, removendo possíveis ameaças à segurança e saúde.

Seguindo essas dicas, é possível criar seus pets em apartamento, proporcionando todo o conforto, saúde e segurança necessários. Para complementar essa experiência, considere também ajustar a decoração do espaço para torná-lo ainda mais aconchegante para os bichinhos. 

Somos pet friendly!

No Union 511, a experiência não seria diferente, uma vez que contamos com o Union Pet Care, proporcionando amor e cuidado em dobro para o seu fiel amigo.

O Union é mais do que um espaço físico, é um lar que acolhe não apenas seus residentes humanos, mas também os membros de quatro patas. Nos dedicamos para garantir que os animais de estimação se sintam verdadeiramente em casa. Nossas instalações pet-friendly são cuidadosamente projetadas para proporcionar conforto e segurança, oferecendo um ambiente onde cada rabinho abanando é recebido com alegria.

O condomínio conta ainda com espaço pet para dar aquele banho nos peludos sem precisar ir ao pet shop. Aunimal, não é?

Conheça nossos decorados!

Blogpost Header (4)

Decoração: Cor de 2024 da Pantone é a Peach Fuzz

A Pantone descreve o tom de pêssego como sendo “suave”, “aveludado”, “contemporâneo” e “nutritivo”.

Após Viva Magenta de 2023, analistas de tendências da Pantone, a especialista global em cores, selecionaram o Peach Fuzz como a cor de 2024. Este tom mais suave é uma celebração do aconchego e da conexão. Em um comunicado, a empresa declarou que a escolha reflete o desejo de comunidade em tempos de incerteza.

Imagem: Pantone

​​Segundo o Pantone Color Institute, o Peach Fuzz, na tonalidade Pantone 13-1023, está “delicadamente posicionado entre o rosa e o laranja”. Laurie Pressman, vice-presidente do instituto, destaca que esse é um tom de pêssego sincero que evoca uma sensação de ternura, transmitindo uma mensagem de afeto, compartilhamento, comunidade e colaboração. Em meio à turbulência em várias áreas de nossas vidas, ela expressa a necessidade de carinho, empatia e compaixão, enquanto alimenta nossa imaginação e aspiração por um futuro mais pacífico.

Desde 1999, a Pantone tem selecionado anualmente uma cor que exerce impacto direto e indireto em vários setores, como na decoração, arquitetura, entre outros. A escolha da cor do ano não apenas fortalece tendências, mas também inspira a criação de uma variedade de produtos em escala global.

Imagem: Ruggable/Pantone

A definição da cor do ano é fruto de uma pesquisa anual intensiva. No ano de 2023, essa pesquisa abrangeu não apenas “todas as áreas do design”, mas também a indústria do entretenimento, filmes em produção, coleções de arte itinerantes, artistas emergentes e o cenário da moda, de acordo com informações da empresa. Laurie Pressman, vice-presidente do Pantone Color Institute, destaca que as influências podem derivar de destinos de viagem ambiciosos, novos estilos de vida, modalidades de entretenimento ou experiências relaxantes, além de considerar condições socioeconômicas. 

Ela acrescenta que fatores como novas tecnologias, materiais, texturas, efeitos que impactam as cores e até mesmo eventos esportivos futuros com atenção global também são levados em consideração.

Imagem: Spoonflower/Pantone

Que tal aproveitar essa tendência e ir se inspirando para a decoração do seu novo apartamento? Adotar esse tom suave de pêssego pode proporcionar uma atmosfera acolhedora e contemporânea ao seu lar, refletindo a vibração positiva que essa tonalidade evoca. 

E se você quer começar 2024 com o pé direito, com o seu apartamento dos sonhos, para decorar do jeito que sempre quis, conheça o UNION 511, na melhor localização do Noroeste e com a segurança de um condomínio fechado e moderno.

Visite nossos decorados e saiba mais!

CRNW 511 – Noroeste

Blogpost Header (2)

Madeira escura é aposta de decoração em 2024

Durante um longo período, os padrões de madeira clara reinaram, especialmente em ambientes contemporâneos de residências e apartamentos no Brasil. No entanto, a última edição da CASACOR SP, renomada exposição que destaca os principais nomes da arquitetura e do design nacional, trouxe à tona uma reviravolta marcante: o ressurgimento da madeira escura, aplicada em pisos, revestimentos de paredes, mobiliário e decoração em diversos ambientes projetados.

Loft (in)Terno por Ticiane Lima. Foto: Denilson Machado / Divulgação

Um dos grandes destaques foi o Loft (in)Terno, criado pela arquiteta Ticiane Lima, que ganhou o prêmio de melhor ambiente da mostra. Em todos os espaços assinados, a madeira Pau Ferro desempenhou um papel fundamental, aparecendo em móveis e divisórias, onde foi explorado o padrão Pau Ferro, que possui um desenho orgânico com muita personalidade, em todo o mobiliário e painéis do projeto, destacando a autenticidade brasileira aliada à sofisticação. Foi um marco e tornou-se um exemplo cativante da ressurgência da madeira escura, proporcionando uma fusão única entre tradição e modernidade na decoração.

Foram compartilhados insights reveladores sobre a transformação do olhar do consumidor em relação à madeira escurecida. Em um cenário onde padrões mais claros dominaram por um longo período, impulsionados por tendências do minimalismo e do design escandinavo, observou-se uma mudança significativa nos desejos dos clientes nos últimos meses.

Antes, e de forma frequente, quem reinava eram os padrões mais claros, alinhados com as influências do minimalismo e do design escandinavo, que favorecem ambientes mais claros e ‘clean’. No entanto, o que tem chamado a atenção é o aumento significativo de pedidos e projetos com escolhas mais escuras. 

Muitas pessoas apreciam a tonalidade natural e escura da madeira, mas receiam criar uma atmosfera pesada e carregada no ambiente. Para contornar esse desafio, separamos dicas essenciais que garantem leveza e harmonia nos espaços: 

  1. Em espaços amplos e abertos, a incorporação da madeira escura surge como uma excelente escolha para dar continuidade a painéis instalados, proporcionando uma sensação de fluidez e conectividade. Para aqueles que buscam conferir um toque contemporâneo ao projeto, a estratégia de contraste ganha destaque, pois a madeira escura possibilita a criação de pontos estratégicos contrastantes, elevando a elegância do ambiente.
  1. A ousadia no jogo de contrastes é uma ferramenta valiosa para quem deseja inovar no design de interiores. A madeira escura, quando utilizada com maestria, torna-se um elemento chave para estabelecer esses contrastes, agregando modernidade e sofisticação ao espaço. A atenção cuidadosa aos detalhes e a seleção de áreas estratégicas para destacar com madeira escura são fundamentais nesse processo.
  1. Um ponto crucial a se considerar é a possibilidade de sobrecarregar a decoração com o uso excessivo de madeira. Evitar essa armadilha é essencial para manter a leveza e equilíbrio no ambiente. Nesse sentido, a integração de cores e elementos diversificados desempenha um papel vital. Almofadas vibrantes, tapetes atraentes, cortinas bem escolhidas e uma seleção variada de quadros são recursos valiosos para contrabalançar a presença da madeira escura, garantindo uma decoração harmoniosa e envolvente.

Ao equilibrar o poder visual da madeira escura com toques de cor e texturas diversas, você cria um ambiente que não apenas cativa os olhos, mas também envolve os sentidos, tornando seu apartamento um refúgio de estilo e bem-estar.

Design que não sai de moda

O Union 511 foi concebido com design atemporal. O projeto foi pensado nos mínimos detalhes, com técnicas contemporâneas que se adaptam às mais diversas tendências de design, mantendo-se moderno e atrativo a cada mudança de temporada. 

O projeto une beleza, personalidade e funcionalidade para ncantar moradores e visitantes, qualquer que seja a moda da vez.

Venha se encantar por esse novo padrão de viver no Noroeste.

Visite nossos decorados e saiba mais!
CRNW 511 – Noroeste

Blogpost Header (1)

Você sabe como calcular o metro quadrado?

Quando você planeja comprar um imóvel ou planejar o layout de interiores, é fundamental ter conhecimento sobre como realizar o cálculo de metros quadrados. Isso é essencial para evitar desperdícios, seja ao escolher o revestimento das paredes ou ao ponderar a disposição dos móveis, entre outras considerações.

Além disso, é importante ressaltar que dominar a técnica de calcular a área em metros quadrados de paredes e pisos também contribui para uma melhor organização e auxiliar na tomada de decisão quanto à escolha do local ideal para você e sua família. 

A boa notícia é que não é tão complicado quanto pode parecer à primeira vista. Para saber mais sobre o assunto, continue a leitura!

Metro Quadrado: o que é?

Para compreender como realizar o cálculo do metro quadrado, é importante ter em mente que esta medida representa uma unidade de área, definida como um quadrado com lados medindo 1 metro de comprimento cada. Sua representação simbólica é m² e é equivalente a 10 mil centímetros quadrados (cm²).

O conceito de metro quadrado é amplamente importante na determinação da dimensão de uma superfície, sendo aplicado na avaliação da área de propriedades, espaços internos e terrenos. Além disso, é útil determinar quantas pessoas podem ser acomodadas em um local específico.

É importante destacar que o metro quadrado não deve ser confundido com o metro linear. Enquanto o metro quadrado é empregado para medir áreas, o metro linear é utilizado para medir distâncias em linha reta.

Como calcular?

O cálculo do metro quadrado envolve uma simples multiplicação da largura pelo comprimento, fornecendo o resultado desejado. Por exemplo, se você possui uma sala com paredes que medem 5 metros de largura por 8 metros de comprimento, uma área total será de 40 metros quadrados, pois 5 multiplicado por 8 é igual a 40.

Para entender com precisão como calcular o metro quadrado, veja as seguintes etapas a serem seguidas:

  • Meça o comprimento da área: inicie a medição determinando a extensão de cada lado do espaço que você deseja analisar. Se você estiver avaliando uma propriedade inteira, repita esse processo para cada cômodo. Lembre-se de converter os centímetros em metros, como explicado anteriormente, dividindo por 100. Por exemplo, se uma parede medir 450 centímetros, sua medida será de 4,5 metros.
  • Meça a largura: realize a medição da largura da mesma maneira, certificando-se de medir o lado que se encontra a cerca de 90 graus em relação ao lado já medido. Novamente, incluindo os centímetros e fachada a conversão para metros.
  • Multiplique o comprimento pela largura: o próximo passo é multiplicar o comprimento pela largura. Se o resultado apresentar várias casas decimais, é aconselhável arredondar o valor. Por exemplo, se o resultado for 5,4327 metros quadrados, arredonde para 5,44 metros quadrados. Sempre arredonde para cima para garantir que o que você está planejando caberá na área desejada.

E como se calcula o valor do metro quadrado?

O valor do metro quadrado é influenciado por diversos fatores, que incluem:

  • As dimensões (comprimento e largura) da área em questão.
  • A distância total da propriedade.
  • Uma área privativa, também conhecida como área útil.
  • Uma área comum.
  • A área total do imóvel.
  • A oferta e a demanda, ou seja, o cenário do mercado na região.

Você pode realizar um cálculo aproximado, dividindo o preço de uma propriedade semelhante à sua pela sua extensão. Assim, ao obter o valor do metro quadrado, basta multiplicá-lo pela área total do seu imóvel. Porém, esse método ainda envolve alguma subjetividade.

Se você precisa de um apartamento que case com o seu atual momento e atenda bem a sua necessidade de espaço, você precisa conhecer o Union 511!

A melhor localização do Noroeste com todas as facilidades que você precisa e mais de 2 mil m² de área de lazer.

Blogpost Header

Principais índices e taxas do mercado imobiliário

Comprar uma casa ou apartamento é uma decisão importante, e o mercado imobiliário é um ambiente dinâmico, com diversos indicadores que podem afetar sua escolha. Esses indicadores são como bússolas que apontam a direção do mercado, informando quando os preços estão altos ou baixos e ajudando a encontrar o melhor momento para investir.

Vamos simplificar tudo isso e apresentar os cinco indicadores mais relevantes para você tomar decisões inteligentes na hora de comprar um imóvel.

O que são indicadores imobiliários?

Indicadores imobiliários são ferramentas que acompanham as mudanças no mercado de imóveis, fornecendo uma visão geral da situação econômica na área. Eles podem ajudar a entender:

  • Taxas de juros em financiamentos imobiliários.
  • Potencial de valorização do imóvel.
  • Preços vantajosos para propriedades.
  • Oportunidades de economizar dinheiro.
  • Esses indicadores são essenciais não apenas para compradores, mas também para construtoras, imobiliárias, investidores e até mesmo para o governo.

Qual é a importância desses indicadores?

Se você está pensando em comprar um imóvel, esses indicadores são como guias que apontam o melhor momento para agir. Eles revelam a situação atual do mercado imobiliário, ajudando a tomar decisões informadas e economizar dinheiro na compra do imóvel dos seus sonhos.

Agora, vamos conhecer os cinco principais indicadores imobiliários e entender como funcionam:

1. Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M)

O IGP-M mede as variações de preços no mercado imobiliário de forma abrangente. É amplamente utilizado em contratos de compra e venda de imóveis e aluguéis. Esse índice é calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) com base no acumulado dos últimos 12 meses. Geralmente, ele é usado para ajustar os valores de aluguéis anualmente.

2. Índice Nacional de Custos da Construção do Mercado (INCC-M)

O INCC-M é relevante para imóveis em construção. Ele é calculado mensalmente pela FGV e leva em consideração os custos de materiais e mão de obra necessários para a construção. Esse índice é usado para reajustar parcelas de contratos de compra e venda de imóveis com base nas mudanças de custos dos materiais essenciais.

3. Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB)

Assim como o INCC-M, o CUB é um indicador de custos da construção civil. No entanto, ele é medido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) e representa o custo parcial da obra. Empresas usam o CUB para determinar os custos das obras em andamento.

4. Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)

O IPCA mede a inflação e é um dos índices mais comuns no Brasil. Ele é calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e avalia as variações de preços de produtos básicos. Além de influenciar a economia em geral, o IPCA também afeta as taxas de juros em financiamentos imobiliários.

5. Taxa Selic

A Taxa Selic é a taxa básica de juros no Brasil, e suas variações impactam vários setores da economia, incluindo o mercado imobiliário. Ela afeta diretamente as taxas de juros em financiamentos imobiliários. Quando a Selic cai, os juros também diminuem, e quando a taxa sobe, os juros aumentam.

Fonte: Jetimob

Em resumo, esses indicadores podem ajudar você a tomar decisões mais informadas na hora de comprar um imóvel. Portanto, fique atento a eles, especialmente se estiver considerando um financiamento imobiliário. Quer mais uma dica? A taxa Selic andou em queda nos últimos meses, e o Rogério Amorim,  coordenador de vendas do Union 511,  explicou o porquê de agora ser a hora ideal de investir na sua unidade do Union. Confira lá no nosso Instagram